Notícias


Quando levar seu filho ao urologista?

Nesta entrevista, o médico urologista pediátrico e professor da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Dr. Ubrajara Barroso, fala sobre os principais problemas urológicos que acometem meninos e meninas na infância e adolescência. Conheça essa especialidade da medicina.


iSaúde Bahia – Quais os principais problemas uropediátricos?

Dr. Ubirajara Barroso – A urologia peditátrica trata de problemas genitais e urinários das crianças. Problemas comuns como a fimose, a ausência de testículo no escroto (criptorquidia) ou alterações congênitas mais proeminentes como o canal uretral que nasce fora da posição habitual (tipo ou epispádia), ambiguidades genitais e a bexiga que nasce para fora (extrofia de bexiga) são alguns exemplos de alterações genitais. No âmbito das alterações urinárias, as mais comuns são a incontinência urinária durante o dia ou durante o sono (enurese noturna), a bexiga neurogênica, as dilatações renais (hidronefroses) e o refluxo de urina da bexiga ao rim (refluxo vesicoureteral). Outro problema frequente que a urologia pediátrica lida é a infecção urinária.

O urologista pediátrico atua também na prevenção, na orientação do cuidado genital, do largar a fralda e, na adolescência, na orientação sexual e no exame genital e urinário.

iSB – Urologista pediátrico cuida apenas de meninos?

Dr. Ubirajara Barroso – Não. Depois dos seis meses de idade as meninas têm mais infecção urinária que os meninos. Também, meninas têm mais sintomas urinários depois que largam as fraldas que os meninos. Além disso, é o urologista pediátrico que faz grandes reconstruções vaginais em crianças que nascem com anomalias congênitas da vagina, como na ambiguidade genital.

iSB – Até que idade o paciente pode ser atendido pelo urologista pediátrico?

Dr. Ubirajara Barroso – A princípio até os 18 anos. Porém, há adultos que possuem doenças urinárias crônicas que se iniciam na infância e persistem para além da fase adulta. Esses casos podem continuar sendo acompanhados pelo urologista pediátrico, pois há situações raras em que o urologista de adulto não consegue adquirir experiência, como na hipospádia, extrofia de bexiga e mielomeningocele.

iSB – Até que idade a incontinência urinária é saudável (ou dentro da normalidade)?

Dr. Ubirajara Barroso – Pode-se esperar que a criança apresente incontinência, enquanto dorme (enurese noturna), até os cinco anos de idade. Durante o dia, crianças com mais de três anos que persistem incontinentes, devem ir ao urologista.

iSB – Qual a diferença entre fimose e circuncisão?

Dr. Ubirajara Barroso – Fimose é a incapacidade de retrair a pele do pênis (prepúcio) e conseguir ver a glande (cabeça do pênis) como um todo. Circuncisão é um procedimento cirúrgico que visa extrair o prepúcio excedente. Nem toda fimose precisa de circuncisão. O urologista pediátrico definirá isso.

iSB – Quem tem mais problemas urológicos: meninas ou meninos? Existe uma causa?

Dr. Ubirajara Barroso – As meninas são mais acometidas de incontinência e infecção urinária e isso se deve a uma uretra mais curta. Os meninos apresentam mais anomalias congênitas, como hidronefroses. Não há uma explicação clara para isso.

iSB – Por que algumas crianças nascem com o(s) testículo(s) mal localizados (fora da bolsa escrotal)?

Dr. Ubirajara Barroso – Esse é um problema chamado de criptorquidia. Os testículos localizam-se dentro do abdome no período fetal. Porém, a partir do sétimo mês de gestação, dirigem-se ao escroto sob o efeito do hormônio chamado gonadotrofina coriônica, produzido pela placenta. Outras substâncias como a procalcitonina e o fator de crescimento insulina-like também exercem efeito nesse processo. Se essas substâncias faltam na gestação ou, se os testículos são a elas insensíveis, eles podem permanecer no abdome ou parar a descida e permanecerem na região inguinal (virilha). O problema da criptorquidia é o que o aumento do aquecimento testicular reduz a função do órgão e pode produzir câncer.

iSB – O que é hérnia inguinal?

Dr. Ubirajara Barroso – A hérnia é a passagem de uma estrutura orgânica por um orifício. No caso das crianças, a hérnia inguinal se deve à persistência do conduto peritônio-vaginal. Esse é um conduto que comunica o abdomen ao escroto ou região inguinal que deve ser fechado antes do nascimento. A persistência pode levar à entrada de conteúdo como alça intestinal ou gordura para dentro do orifício inguinal. A hérnia deve ser tratada com cirurgia para não haver danos a essas estruturas.

iSB – Infecção urinária na infância é comum?

Dr. Ubirajara Barroso – Cerca de 3% de todos os meninos e 8% de todas as meninas terão infecção urinária. Nas crianças, a infecção urinária deve ser tratada rapidamente pelo risco de lesão renal. Além disso, deve-se investigar desde o primeiro episódio, pois, em crianças menores, é causada, normalmente, por anomalias congênitas e, nas maiores, por alterações da micção. A fimose também é uma importante causa e a constipação intestinal aumenta a chance dessa ocorrência.

Fonte: http://www.isaudebahia.com.br/noticias/detalhe/noticia/quando-levar-seu-filho-ao-urologista/

CEDIMI: Centro de Distúrbios Miccionais na Infância

CEDIMI: Centro de Distúrbios Miccionais na Infância

O CEDIMI é um centro de referência nacional e o primeiro da Bahia especializado no tratamento de alterações miccionais na infância.

Saiba mais

Centro Médico Aliança

Av. Juraci Magalhães Junior, 2096 3º andar
Sala 306, Rio vermelho, Salvador

Telefone: (71) 2108 - 4670
E-mail: ubarroso@uol.com.br

Uropediatria – Urologia Pediátrica – Salvador – Bahia | Dr. Ubirajara Barroso Jr – Uropediatria – Xtrofia de Bexiga – Enurese Noturna – Disfunção do Trato Urinário Inferior (DTUI) – Refluxo Vésico-Ureteral – Hipospádias